BNegão & Seletores de Frequência

f Share

05 de Março

Abertura da casa: 20:30 H

Horário do show: 23:59 H


Ingresso antecipado: R$30,00

Ingresso na porta: R$60,00


Ingresso na porta - estudante: R$30,00

BNegão & Seletores de Frequência apresentam:

TransmutAção

O terceiro disco do grupo carioca foi eleito um dos melhores lançamentos brasileiros de 2015!

BNegão & Seletores de Frequência comemoram os bons frutos do lançamento de TransmutAção (2015, Natura Musical). O terceiro disco do grupo figura no ranking dos melhores de 2015, de acordo com a crítica musical do Brasil e a agenda não para.

TransmutAção foi eleito pelo jornal “O Estado de S. Paulo” como o segundo melhor disco de 2015; esteve na lista de melhores do ano da “Revista Rolling Stone Brasil”; levou “ótimo” na avaliação do jornal “Folha de S. Paulo” e ainda esteve nas listas de melhores discos do ano entre os principais blogs de música do Brasil.

Ainda no primeiro semestre, a versão em vinil do álbum promete chegar com tudo nas melhores vitrolas e lojas de todo o Brasil.

TransmutAção (2015, Natura Musical)

Àgò, a palavra que abre o álbum e dá nome à primeira faixa de TransmutAção (Natura Musical), pede permissão e licença para passar, ao som dos tambores de Alexandre Garnizé.

Este terceiro disco da carreira do grupo vem cheio de força na retórica e apresenta o resultado das novas alquimias sonoras dos Seletores de Frequência. “Dias da Serpente”, um dub turbinado pela percussão de terreiro anuncia: “dias luminosos virão, dias trevosos estão”.

O crossover de funk com rap (característica intrínseca ao trabalho de BNegão & Seletores de Frequência) está em “No Momento (100%)” e em “Mundo Tela”.

A combinação inédita do surf rock com referências ao gênio etíope Mulatu Astatke – pai do ethio jazz e um dos maiores músicos mundiais em atividade – se chama “Surfin’ Astatke” (autoria do trompetista Pedro Selector) e faz uma passagem instrumental para as duas faixas de samba que seguem: o samba-jazz “No Amanhecer” e uma versão gafieira-fumegante de “Fita Amarela”, de Noel Rosa.

BNegão (com o auxílio do produtor Maga Bo) trouxe beats inusitados do futuro e os juntou aos ritmos e melodias ancestrais da ciranda em “No Ar”, onde a levada convida para dançar e fazer a energia circular. “Giratória” é o último petardo deste baile antes da faixa que encerra o álbum: “Nós (Ponto de Mutação)”, um dub que chama para a despressurização da mente e homenageia algumas das maiores influências (filosóficas, musicais e espirituais) do rapper, como Darcy Ribeiro, Tom Zé e Professor Hermógenes.

A ideias estão aí.
TransmutAção é a palavra-chave.

 

Pontos de Venda

Em virtude do cenário atual, não estamos trabalhando com pontos de vendas.
Ingressos apenas virtuais, através do nosso site!