Felipe Antunes apresenta: Cru

f Share

19 de setembro de 2018


Lançamento de “CRU”, segundo álbum-livro solo de Felipe Antunes (Vitrola Sintética), gravado em Portugal com o violoncelista holandês Tjalle Rens.

Espetáculo com Leonardo Mendes, Yaniel Matos , Kika Carvalho além de participação, Kika também integra a banda) e Felipe.

Participação de Xis e Kika.

Local: Sesc Santos – Comedoria

Direção: Jackeline Stefanski Bernardes
Luz: Laura Salerno

O álbum-livro:

Prefácio

É preciso acreditar, o Sol Quente vai embora.
Cru acorda com a Sombra, sem Maresia.
Pois é de Mar que o Álbum é feito, e do Sal
qu’Ele aporta. Grande Corpo de Água, vacinado
pela História, Felipe Antunes atravessa. Sua Voz
e a de suas Amizades amortecem a Forte Rebentação.
Conscientes do Perigo, evocam apenas o Trânsito —
quem os escuta, sente-se em Casa.
Navegar é preciso, mas sem companhia é impossível escrever.
Não tem tristeza que aguente a certeza, é preciso
navegar antes de morrer.

Wagner Schwartz

Nos três últimos anos Felipe realizou turnês em Portugal e Espanha no formato violão e voz. Passou por Lisboa, Coimbra, Porto, Portalegre, Mata do Buçaco, Praia da Tocha, Madrid, Barcelona, Vigo, Ourense, Tuí, etc. Na última turnê se aproximou da língua portuguesa africana através de artistas de Angola e Moçambique – agora convidados a participarem desse novo álbum. Face a urgência de temas como o Genocídio contínuo do negro no Brasil, resolveu unir forças entre as línguas para denunciar as ainda estabelecidas práticas discriminatórias e opressivas. Não é possível estar na pele, mas sim posicionar-se ao lado. Além disso, apesar da história de opressão, há também muita beleza no fio que conduz e conecta os continentes através da língua. Que essa aproximação aconteça de maneira definitiva e progressiva. Esse caminho artístico na carreira do artista culminou na turnê CRU, e consequentemente no álbum CRU.

O álbum foi praticamente todo gravado em Almada (Portugal) nos estúdios da Ponto Zurca. Produzido por Felipe Antunes e pelo português Sérgio Milhano — Sergio também realizou, ao lado de João Martins, as captações de áudio. As gravações complementares, edições e mixagens foram realizadas no estúdio Submarino Fantástico, por Otavio Carvalho e Luca Fasano. A masterização foi de Felipe Tichauer, no Red Traxx Mastering.

Segue-se a parceria com os queridos Tiago Fabris Rendelli, Wladimir Vaz e a Editora Urutau.

o álbum para escutar nas plataformas digitais:
https://www.onerpm.com/al/8307278588

O LÂMINA, meu anterior e primeiro solo, é, assim como CRU, um álbum-livro. A canção “CRU” debutou desacompanhada de música, surgiu como poema concreto no livro de poemas EuOnça.

O álbum, além de Felipe e Tjalle, tem: Xis, Oswaldo de Camargo, Nástio Mosquito, Lenna Bahule, KiKa, Fred Martins, Leonardo Mendes e Marcelo Castilha

Mini Bio

Felipe Nasceu em 1983 na cidade de São Paulo e cresceu em Bragança Paulista; é músico, compositor, pesquisador e membro da banda Vitrola Sintética. Em 2015 e 2016 foi indicado ao Latin GRAMMYs com o Vitrola nas categorias: Artista Revelação, Engenharia de Gravação e Música Alternativa (single “Deus”). Também em 2016 lançou o álbum-livro solo LÂMINA, com participações de Ná Ozzetti, Helio Flanders, Juliana Perdigão, Enzo Banzo e Bocato, no projeto Prata da Casa (Sesc Pompeia). Graduado em Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo, já defendeu mestrado, doutorado e pós-doutorado (em parcerias entre USP – Universidade de São Paulo, Ipen – Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Universidade de Aveiro e CSIC – Universidad Autónoma de Madrid) em Ciência dos Materiais. Também trabalha na composição de trilhas para teatro.

 

_Local do evento: Secs Santos

_Horário: das 21h às 23h
_Gratuito

Mais informações sobre o artista e sobre o evento aqui!